O DESENVOLVIMENTO DA LUTA

EXIGE UMA NOVA POSTURA DOS COMUNISTAS

A evolução da situação política exige um novo e atualizado balanço da trajetória do movimento revolucionário do nosso país. Quando a União Reconstrução Comunista lançou o seu documento fundacional, diversos fenômenos que eclodiram no período recente estavam se maturando. De lá para cá, no interior de nossa organização amadureceu o debate sobre diversas questões relevantes para o conjunto do movimento comunista internacional. Revimos certas posições e aprofundamos outras, sempre com o intuito de afirmar e desenvolver uma linha política realmente revolucionária e Marxista-Leninista.

A história do Partido Comunista do Brasil em seu conjunto propicia aos revolucionários importantes lições para a construção de um novo movimento comunista em nosso país, que supere as debilidades ideológicas e orgânicas do movimento precedente. A fundação do Partido Comunista do Brasil, em 25 de março de 1922, representou o ponto de partida através do qual foram criadas condições objetivas e subjetivas para que o proletariado avançasse como protagonista dos acontecimentos políticos no país. O início do Partido Comunista do Brasil no cenário político brasileiro, influenciado pela vitoriosa Revolução Socialista de Outubro de 1917, na Rússia, foi o mais importante salto de qualidade na luta do nascente movimento operário brasileiro e representou grande amadurecimento ideológico por parte dos seus membros mais destacados, que em quase sua totalidade estavam inseridos no movimento anarquista.

O Partido Comunista do Brasil segue sua heroica e ziguezagueante trajetória


Situação Internacional agudiza a capitulação do Partido Comunista do Brasil

Reflexos do XX Congresso do PCUS no Brasil

A Reorganização do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)

Luiz Carlos Prestes, a “Carta aos Comunistas” e o “esquerdismo”

A verdadeira Revolução Democrática

O oportunismo hoje

O neoliberalismo no Brasil e a posição dos partidos políticos diante do imperialismo e do movimento operário

A URC, o Movimento Comunista Internacional e os países que ainda reivindicam o socialismo

Conclusão